terça-feira, 22 de maio de 2018

A captura de hoje só tem valor amanhã?

Por Carlos Selva

A fotografia é a captura de um momento exato e único. Por mais que tenhamos todos os dias um “por do sol” capturado pela, jamais a imagem será a mesma. O cenário muda, o fotografo muda, o ângulo muda, o dia não é o mesmo e muito menos os aspectos climáticos e ambientais se repetem.

O processo de captura de imagem outrora se apresentava a partir da caixa de madeira escura com uma lente objetiva apoiada em um tripé, enquanto o habilidoso fotógrafo, escondido atrás de um pano preto, enquadrava a imagem e, com um clique, tirava a foto. Ali mesmo ela era revelada e entregue ao retratado, que, ansiosamente, esperava para ver seu momento eternizado.

Atualmente e apenas utilizando o aparelho celular qualquer pessoa sem a mínima habilidade e apenas usando algum recurso tecnológico consegue capturar uma imagem com extrema qualidade. Agora vem a pergunta: Onde está o valor?

Inicialmente o valor da fotografia está na essência de quem capturou e no momento único da captura. Entretanto, a captura deste momento único terá um valor significativo quando o amanha chegar e a imagem relatar uma situação ou momento em que se reflete um sentimento ou uma experiência única, o que torna o valor da fotografia imensurável.

Fotografia 1: Por do Sol no Eixo Monumental
Fonte: acervo do autor
Fonte: acervo do autor


Um exemplo de “captura única” pode ser observada ao analisar a fotografia 1, ao lado, cujo registro pertence ao acervo pessoal do autor deste texto. Quando será capturada outra foto igual a esta? Trata-se de uma imagem de um por do sol, produzido por um celular, localizado em frente à praça do Cruzeiro, no Eixo Monumental em Brasília.  






Com o intuito de identificar o valor da fotografia em determinado momento e sua consequência em não ter o valor da captura agregando ao potencial dos recursos disponíveis para o fotografo. Entende-se que a inexistência da fotografia não gera valor algum, mas não se pode afirmar que sua existência obtenha o valor desejado. Sendo este valor mensurável ou não o valor da captura naquele determinado momento possui um resultado de um esforço o que agrega valor.

Observa-se que conhecer outras formas de se mensurar valor a imagem capturada, bem como o potencial valor agregado pelas novas técnicas e metadados inseridos nas fotografias. 

Referências

COTTON, C. A fotografia como arte contemporânea. Tradução Silvia Maria Mourão Netto. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

COUCHOT, Edmond. A tecnologia na arte, da fotografia à realidade virtual. Porto Alegre: UFRGS Editora, 2003.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente & Argumente